Desempenho das Exportações Brasileiras de Grãos

Fechamento Maio / 2017

Desempenho das Exportações Brasileiras de Grãos – Fechamento Maio/2017

SOJA

As exportações de soja seguem em ritmo forte, impulsionadas pela excelente safra colhida neste ano. Entre 01 e 31 de maio foram embarcadas 9.4 milhões de toneladas, maior volume já registrado para este mês. No acumulado do ano, de 01 de janeiro a 31 de maio, as exportações de soja totalizam 37.1 milhões de toneladas embarcadas, 15% acima do volume registrado no mesmo período de 2016, e 46% superior ao acumulado de janeiro a maio de 2015, ano onde o Brasil atingiu seu recorde histórico de exportação de soja.

Apesar deste incremento de 15%, as exportações de soja estão abaixo do esperado pelo mercado. Este fato se deve muito em função das dificuldades na aquisição do grão pelas tradings devido à resistência de produtores em negociar sua produção com base nos preços atuais pagos pelo mercado, considerados baixos pelo setor produtivo, e que busca recuperar parte do prejuízo obtido em 201, em decorrência das perdas na safra por problemas climáticos.

Até o momento, a grande maioria dos portos do país está com volume de soja embarcado acima daqueles observados no mesmo período em 2016. O porto de Santos, principal porto de escoamento de soja no país, registra até o momento um total de 12.7 milhões de toneladas embarcadas, 10% acima do volume realizado no ano passado, sendo ainda responsável por 34% do total exportado pelo Brasil em 2017.

Como porto de maior crescimento percentual entre 2016 e 2017, vale destacar o desempenho do porto de Vila do Conde (Barcarena) localizado no estado do Pará, por onde foram embarcadas até o momento 2.5 milhões de toneladas de soja, praticamente o dobro do volume embarcado entre janeiro e maio do ano passado. Somados, os portos do arco-norte do país já embarcaram neste ano um total de 9.3 milhões de toneladas de soja, 38% acima do volume registrado no mesmo período em 2016.

A participação chinesa no mercado brasileiro exportador de soja se mantém estável, sendo destino de aproximadamente 77% do volume total exportado pelo país.

Para este mês de junho, ao menos 6.3 milhões de toneladas encontram-se programadas para embarque em todo o país.

Concretizadas as expectativas de uma safra recorde, nossas estimativas são de que entre 01 de janeiro e 31 de dezembro de 2017 sejam exportadas de 61 a 62 milhões de toneladas de soja, o que representaria um novo recorde de exportação da oleaginosa pelo país. Para tanto, será necessário que seja mantida a eficiência demonstrada pelos portos até então, principalmente devido a entrada das exportações de milho já a partir da segunda quinzena de junho, e a rápida solução para os problemas de comercialização.

MILHO

No mês de maio foram embarcadas 261 mil toneladas de milho. No acumulado do ano as exportações do grão totalizam 2 milhões de toneladas, bem abaixo dos volumes normalmente registrados neste período em anos anteriores. Esta baixa movimentação ainda é reflexo das perdas na safra 15/16, principalmente no milho segunda safra, e que derrubaram os estoques disponíveis do grão no país neste primeiro semestre. O milho colhido na primeira safra este ano recompôs os estoques e abasteceu o mercado interno, e a partir deste mês de junho, com a entrada do milho segunda safra no mercado, as exportações devem se intensificar.

Já se encontram programadas ao menos 650 mil toneladas de milho para embarque nos portos do país neste mês de junho.

Os baixos preços deverão trazer dificuldades para a comercialização do milho, com mais intensidade ainda do que ocorre hoje na soja. A capacidade de armazenamento pode fazer com que alguns produtores acabem vendendo sua produção mesmo neste cenário de baixa nos preços, mas não deve ser uma realidade para a grande maioria dos produtores segundo pronunciamentos mais recentes de representativas do setor produtivo.

A CONAB busca solucionar os problemas de comercialização através da realização dos leilões PEP e PEPRO para o milho, a fim de garantir um preço mínimo a ser pago ao produtor no estado do Mato Grosso. Até o momento os leilões de PEPRO vem tendo mais demanda, mas ainda sem esgotar os volumes ofertados pela companhia. Já os leilões PEP registram baixa adesão pelo mercado. Os prêmios estabelecidos pela CONAB ainda não são suficientes para equalizar as operações de compra e escoamento segundo informações.

Nossa expectativa é de que sejam exportadas até o final do ano, aproximadamente 28 milhões de toneladas de milho.

Elaboração: ANEC

logo

Contato

  • Av. Brigadeiro Faria Lima, 1656
    8º andar -Conj 8 A
    Jd. Paulistano -São Paulo - SP - Brasil
  • (11) 3039-5599 | (11) 3039-5597